Remédios que devem ser evitados na gravidez.

 Sabia que no período da gravidez, tudo que é consumido vai direto para o feto? Por isso é importante tomar alguns cuidados na ingestão de alimentos e remédios.

Algumas medicações durante a gravidez devem ser evitadas. Como nunca foi feito nenhum tipo de teste em mulheres grávidas, não é conhecido os malefícios que alguns remédios podem causar, então é melhor não arriscar e suspender o uso de qualquer medicação.

Papel e caneta não mão, tome nota: Isotretinoína e ácido retinóico (para acne), varfarina (anticoagulante), sumatriptano e propranolol (ambos para enxaqueca) e cortisona (para inflamações).

Há outros remédios que, usados excessivamente, podem alterar a função reprodutiva da mulher, é o caso da espironolactona e bloqueadores do canal de cálcio (para função cardíaca e função arterial), colcichina ou alopurinol (tratamento de gota) e cimetidina (alterações gastrointestinais). Quem é usuário desses remédios, é importante procurar um médico para maiores informações.

Mas atenção, mulheres que sofrem distúrbio da tireóide precisam continuar o uso e muitas vezes até aumentar a dose da medicação tomada.  Os médicos dizem que caso a quantia não seja corrigida para suprir a nova necessidade, poderá ocorrer aborto ou parto prematuro.

Igualmente em casos de hipertensão arterial, os remédios  também não podem ser descartados.

O médico deve, diante do histórico da paciente, regular a dosagem.

Já em diagnósticos de epilepsia, o obstetra deve fazer, em parceria com o neurologista, a modificação do remédio permitido na gravidez.

A Gestação é uma fase que a mulher precisa ter atenção e cuidados redobrados consigo, com seu corpo e com o bebê. Em caso de alguma dúvida agende uma consulta com seu médico.

Deixe um comentário